O QUE É SEGURADORA?

Seguradora, ou companhia de seguros, é um tipo de empresa que atua no mercado financeiro. Seu papel é emitir apólices de seguros e, em caso de sinistro, cumprir os termos da indenização prevista nessa apólice. Elas podem segurar bens materiais e imateriais, como veículos, imóveis, partes do corpo e a própria vida do segurado.

O QUE É SEGURADORA?

Seguradora, ou companhia de seguros, é um tipo de empresa que atua no mercado financeiro. Seu papel é emitir apólices de seguros e, em caso de sinistro, cumprir os termos da indenização prevista nessa apólice. Elas podem segurar bens materiais e imateriais, como veículos, imóveis, partes do corpo e a própria vida do segurado.

COMO ATUA UMA SEGURADORA?

A atuação da seguradora pode ser dividida em duas atividades principais: a emissão das apólices e, eventualmente, o pagamento da indenização prevista nesses papéis. Para a emissão de apólices, a seguradora atua realizando uma complexa análise de risco do segurado, a pessoa que irá contratá-la. Dessa forma, dois indivíduos contratando apólices para segurar o mesmo bem podem receber propostas com condições muito distintas: eles apresentam perfis de risco distintos. Essa análise determina a probabilidade de que um determinado sinistro aconteça com o indivíduo. Então, é traçada uma relação entre a probabilidade identificada e o preço que deve ser aplicado à apólice, revelando, inclusive, se é financeiramente viável emiti-la. Imagine que um indivíduo quer segurar seu veículo contra roubos, sendo que a exposição do automóvel ao risco de roubo é muito alta. Nesse caso, o valor que ele precisará pagar no prêmio da apólice será alto, para compensar o fato de que a seguradora terá uma alta probabilidade de ter que pagar a indenização. Se a indenização prevista na apólice for muito elevada, ela pode nem ser interessante para a seguradora. É importante ter em mente que a seguradora, assim como um investidor, espera que alto risco seja compensado com alta remuneração. Depois que a apólice for emitida, a seguradora torna-se responsável pelo pagamento de indenizações conforme previsto nos termos do documento. No entanto, também existe um processo minucioso para isso. Antes do pagamento da indenização, além da entrega de documentações, é preciso realizar uma perícia. Desta forma, é possível determinar se realmente houve sinistro, isto é, se realmente aconteceu um evento indesejado que estava previsto e segurado pela apólice. A perícia afasta o risco de fraude do seguro.

SEGURADORA X CORRETORA

Um equívoco comum é confundir a seguradora com a corretora de seguros. Enquanto a primeira é efetivamente responsável pelo seguro, a segunda atua apenas como mediadora na contratação da apólice. A relação é parecida com a que existe entre um emissor de ações, por exemplo, e a corretora de ações. A corretora não emite o papel nem faz os pagamentos aos investidores que o compram; ela somente facilita a compra, intermediando o contato entre as partes.

SEGURADORA X CORRETORA

Um equívoco comum é confundir a seguradora com a corretora de seguros. Enquanto a primeira é efetivamente responsável pelo seguro, a segunda atua apenas como mediadora na contratação da apólice. A relação é parecida com a que existe entre um emissor de ações, por exemplo, e a corretora de ações. A corretora não emite o papel nem faz os pagamentos aos investidores que o compram; ela somente facilita a compra, intermediando o contato entre as partes.

PERGUNTAS FREQUENTES

A figura do corretor é imprescindível na contratação de qualquer tipo de seguro. Ele é o representante legal do segurado perante à seguradora, já que não é possível contratar nenhum tipo de seguro sem a sua intermediação. O corretor busca a melhor relação custo/benefício para o seu segurado.

Sim, as seguradoras podem recusar sua proposta de seguro por qualquer motivo. Entretanto, a empresa tem o prazo de 15 dias para fazer isso e é invariavelmente obrigada a justificar essa negativa. 

Normalmente, essa recusa costuma acontecer quando:

  • O veículo apresenta um alto risco de roubo ou furto;
  • Quando ele já está fora de linha e encontrar peças originais novas de reposição é muito difícil;
  • Ou mesmo quando ele é importado e conseguir peças para promover consertos fica muito caro.

Se isso acontecer com você, não desanime!

Continue pesquisando e você encontrará uma seguradora disposta a proteger seu veículo.

Mesmo que para isso você acabe pagando um pouco mais.

Importante lembrar que, após a recusa, você pode tentar corrigir os pontos apresentados pela seguradora e solicitar uma nova cotação.

Por exemplo: se a empresa considerou que a mecânica do veículo está ruim, talvez você possa levar o auto à oficina.

Com a manutenção, a seguradora pode aceitar o veículo em uma nova cotação,

Sim, você pode escolher com qual seguradora será feito o seu novo seguro. Por isso, no momento de renovar, faça uma pesquisa e verifique qual empresa oferece o melhor custo-benefício para o seu carro. A dica é iniciar a pesquisa em outras empresas 30 dias antes do vencimento da apólice. Assim, você terá tempo hábil para comparar as ofertas e iniciar uma nova apólice assim que a anterior acabar. Esse cuidado vai evitar que o seu veículo fique desprotegido, mesmo que por apenas um dia.